segunda-feira, 1 de junho de 2009

Almas Perdidas


Porque qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas, qualquer que perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, esse a salvará.
Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma?
Ou, que daria o homem pelo resgate da sua alma?
Trecho de Marcos capítulo 8

Alma, que essência controversa e de difícil compreensão! Não importa se acreditamos que ela é um terceiro elemento na constituição humana, juntamente com o espírito e o corpo; se é a única parte imaterial do homem; ou se é, em conjunto com o corpo físico, o todo indivisível do ser humano. O fato é que, de qualquer forma não existem fatos, nem indícios nem tampouco provas, que possam nos desvendar a complexa estrutura da alma humana. Assim sendo, deixarei a discussão sobre a natureza da alma para quem tem tempo a perder com tais infindáveis questionamentos.
Jesus não se preocupou em explicar a origem, a constituição ou os mecanismos que regem a alma do homem. Ele simplesmente admitiu sua existência e destacou que ela é a coisa mais valiosa que um homem tem, tão valiosa que o mundo inteiro não compensa a sua perda, e dessa forma revela também que ela pode se perder. E uma vez perdida, não há coisa alguma neste mundo que a possa resgatar. Muitos acham que o texto acima está falando sobre aqueles que perdem sua alma indo para o inferno por não se renderem a Cristo. Pode ser, mas tenho meditado sobre um aspecto menos evidente nos últimos dias.
A alma para os judeus no tempo de Jesus era o centro dos sentidos, a sede das emoções e sentimentos, até hoje a visão antropológica dos judeus é a de que alma e corpo formam uma só coisa: o homem vivente. Não há como separar uma coisa da outra, como os gregos, com sua filosofia dualista, fizeram o ocidente e muitos pensadores cristãos pensar. Assim quem perde a alma perde-se por completo ainda em vida. Torna-se um zumbi, alguém que anda, interage com o ambiente em redor, mas não se pode chamar de vivo.
Vem-me a mente a pessoa de Salomão quando penso em alguém que perdeu a alma, não sei se ele a perdeu de verdade, mas quando leio Eclesiastes eu tenho essa impressão. Salomão parece não ver mais sabor e nem encontrar prazer em nada. Conquistou tudo que um homem pode conquistar, foi o rei mais rico de Israel, adquiriu a fama de ser o homem mais sábio de seu tempo, teve todas as mulheres que quis, experimentou todos os prazeres que alguém pode ansiar, tudo que o mundo pode oferecer. Mas suas palavras no fim da vida são de irritante insatisfação:
“Falei eu com o meu coração, dizendo: Eis que eu me engrandeci, e sobrepujei em sabedoria a todos os que houve antes de mim em Jerusalém; e o meu coração contemplou abundantemente a sabedoria e o conhecimento. E apliquei o meu coração a conhecer a sabedoria e a conhecer os desvarios e as loucuras, e vim a saber que também isto era aflição de espírito. Porque na muita sabedoria há muito enfado; e o que aumenta em conhecimento, aumenta em dor.” “E tudo quanto desejaram os meus olhos não lhes neguei, nem privei o meu coração de alegria alguma; mas o meu coração se alegrou por todo o meu trabalho, e esta foi a minha porção de todo o meu trabalho. E olhei eu para todas as obras que fizeram as minhas mãos, como também para o trabalho que eu, trabalhando, tinha feito, e eis que tudo era vaidade e aflição de espírito, e que proveito nenhum havia debaixo do sol.” (trechos de Eclesiastes caps. 1 e 2)
Eu creio que pessoas que perdem a sua alma são assim. Incapazes de sentir. Perderam a capacidade de ver, de ouvir, de cheirar e de tocar a vida. Pessoas amarguradas que tem tudo mas não se satisfazem com nada, não se contentam, pois não acham contentamento em nada do que conquistam. Viver se tornou um vício em buscar, obstinadamente, algo que não sabem o que é e nem para quê ou porque querem. Não são mais capazes de se encantarem com a cor e o perfume das flores; não têm mais tempo pra discernirem as nuances dos acordes de uma bela canção; irritam-se facilmente com a insistência de uma criança em ter sua atenção, porque acham que têm coisas mais importantes e urgentes para fazer; há muito tempo não se importam com o que sente seu cônjuge, e muito menos se importam em fazer algo para alegrar aquele a quem juraram amar em qualquer circunstância, até que a morte os separe.
Perdidos de alma são pessoas amarguradas, odeiam gente apenas por preconceito, são incapazes de acolher as diferenças, preferem números a nomes, trocam ética por dinheiro, valores por vantagens, Deus por si mesmos. E que fique bem claro que não estou falando apenas de “incrédulos”, mesmo entre professos cristãos encontramos pessoas assim, nem vou me explicar, quem acompanha meu blog sabe o que penso sobre este assunto. O fato é que existem pessoas sem suas almas dentro e fora da “igreja” e existem pessoas que ainda conservam suas almas, dentro e fora da “igreja”.Por fim, creio que uma alma não se perca da noite para o dia, isso é um processo demorado e que varia de pessoa para pessoa, dependendo de muitos fatores e do caráter de cada um. Assim sendo, vale uma reflexão para mim e para os leitores deste artigo: será que não estou perdendo minha alma? Essa é a pergunta que me faço todos os dias, e que incentivo você a se fazer também. Pois se descobrirmos que nossa alma está se distanciando de sua origem, que é Deus (Gn 2:7), sempre é tempo de reverter este processo e buscar a reaproximação com aquele que nos dotou de tão valioso presente, Jesus dá a solução para que não venhamos a perder nossa alma em Mc 8:38: não se envergonhar dele e nem de suas palavras. Devemos repensar nossos caminhos, provar nossas ações e pesar nossos sentimentos e pensamentos, para saber se não estamos trilhando um caminho que está provocando a perda da alma. Afinal o que poderemos dar em resgate por ela depois?



English Version (forgive me the bad english):
For whoever wants to save his life will lose it, but whoever loses his life for me and for the gospel will save it. What good is it for a man to gain the whole world, yet forfeit his soul? Or what can a man give in exchange for his soul?
Excerpt Mark Chapter 8
Soul, what a controversial and hard essence to understand! Whether we believe it is a third element in the human constitution, together with the spirit and body, or if it is the only part of the immaterial man, or whether it, together with the physical body, is the indivisible whole of mankind. The fact is that, anyway there are no facts nor warranties nor evidences, which may revelate the complex structure of the human soul. Therefore, let the discussion on the nature of the soul for those who have time to waste with those endless questions. Jesus did not bother to explain the origin, formation and the mechanisms governing the soul of man. He simply acknowledged its existence and said that it is the most valuable thing a man has, so valuable that the world does not compensate its lost, and thus shows that it can be lost. And once lost, there is not anything in this world that can recover. Many believe that the text above is talking about those who lose their souls going to hell cause don't surrender to Christ. Perhaps, but I have meditated on something less evident in recent days.
The soul to the Jews in the time of Jesus was the center of the senses, the seat of emotions and feelings, until now the anthropological vision of the Jews is that soul and body are one thing: the living man. There is no way to separate one thing from another, as the Greeks, with their dualistic philosophy, made the West and many Christian thinkers think. So who loses your soul is completely lost still in life. Becomes a zombie, someone who walk, interacts with the environment around, but that cannot be called of alive.
Comes to my mind the person of Solomon when I think of someone who lost his soul, I don't know if he really lost it, but when I read Ecclesiastes I have that impression. Seems to me that Solomon does not see taste in life and don’t find pleasure in anything. He conquested everything a man can conquest, was the richest king of Israel, acquired a reputation of being the wisest man of his time, had all the women he wanted, experienced all the pleasures that someone can earn, all that the world can offer. But his words at the end of life are of an annoying dissatisfaction:
I thought to myself, "Look, I have grown and increased in wisdom more than anyone who has ruled over Jerusalem before me; I have experienced much of wisdom and knowledge." Then I applied myself to the understanding of wisdom, and also of madness and folly, but I learned that this, too, is a chasing after the wind. For with much wisdom comes much sorrow; the more knowledge, the more grief. I denied myself nothing my eyes desired; I refused my heart no pleasure. My heart took delight in all my work, and this was the reward for all my labor. Yet when I surveyed all that my hands had done and what I had toiled to achieve, everything was meaningless, a chasing after the wind; nothing was gained under the sun. "(Excerpt from Ecclesiastes caps. 1 and 2)
I believe that people who lose their souls are like that. Unable to feel. Lost the ability to see, to hear, smell and touch their lives. Bitter people who have everything but are not satisfied with anything, are not satisfied, cause they don’t find contentment in anything of what they conquest. Living had becomed an addiction in seeking, obstinacy, something they don't know what it is, and not for what they want or why. Are no longer able to enchant with the color and perfume of flowers; have no more time for discerning the nuances of chords of a beautiful song, are easily irritateds with the insistence of a child to have his attention, because they think that there is most important and urgent things to do, since a long time they don’t care about how their couple feel, and even less care to do something to brighten the one who swore to love in any circumstances, until death separate them.
People of lost souls are bitter, hate people just for prejudice, are unable to accommodate the differences, prefer numbers to names, exchange money for ethics, values for benefits, God for themselves. And it is clear that I am not speaking only of "unbelievers," even among professed Christians there are people like that. So I will not explain, who that follows my blog knows what I think about this. The fact is that there are people without their souls inside and outside the "church" and there are people who still retain their souls inside and outside the "church”. Finally, I believe that a soul is not lost from the night for the day, this is a lengthy process and it varies from person to person, depending on many factors and character of each. Therefore, it is a reflection for me and the readers of this article: Am I losing my soul? That is the question that I do every day, and encourage you to do the same. For if we discover that our soul is away from his giver, which is God (Gen 2:7), ever is time to reverse this process and seek rapprochement with the one that gave us so valuable gift, Jesus gives the solution for don’t lose our soul in Mk 8:38: Do not be ashamed of him and of his words. We must rethink our ways, and weigh our actions proof our feelings and thoughts, to see if we are not trailing a path that is causing the loss of the soul. After all what can we give in rescue of it later?

2 comentários:

silvania Itaboray. disse...

Paz e Graça, amado amigo...

Como faz bem a “alma” ler... E ler especialmente trechos como este.
Realmente nenhum sacrifício valerá à pena se o preço for à fonte das minhas emoções e sentimentos, tomara que isso não ocorra comigo... Porém se eu a perder, a única maneira de retomá-la é na presença Daquele que é o único que pode re-significar as coisas em nós.
Aos que aqui passarem deixo registrado que ainda há modelos a serem seguidos... Não pela perfeição... Mas pela perfeita humanidade... E você é um deles.
Um grande abraço.
Sua amiga e irmã em Cristo...
Silvania Itaboray.

Danilo Fernandes disse...

Otimo post Jerry! E o ingles tá bom!

Danilo

http://genizah-virtual.blogspot.com/