segunda-feira, 12 de maio de 2008

Peregrino


Existe um Caminho que eu desejo seguir. Nele importa muito pouco o que carregamos, ou como nos vestimos, e nos expressamos. No Caminho que tenho andado, poucos andam, pois apertada é a porta e estreito é o seu curso. Aqueles que quiserem andar por este caminho não precisam ser reconhecidos por seus feitos, mas precisam fazer conhecidos os feitos do Caminho que trilham. A vida dos que estão nesta senda não existe mais, vivem uma vida outorgada pelo próprio Caminho. Trata-se de uma vida abundante, exuberante, mas itinerante, muitas vezes não há lugar para repousar a cabeça, senão nos ombros do próprio Caminho. Assim sendo, não é sábio ter muitas posses, pois elas certamente atrapalhariam a caminhada, todas as riquezas do Caminho estão no final de seu percurso, e só aqueles que perseverarem até o fim poderão contemplá-las.
Não existem espelhos no Caminho, porque nele a vaidade não se aventura a andar. Quem quiser contemplar o seu próprio rosto natural logo se esquecerá dele, mas aqueles que fitam seus olhos na face do Caminho nunca mais esquecerão a beleza da liberdade, e será tido por bem-aventurado. Aqueles que são chamados a este Caminho seguem seguros, tendo sempre à sua frente um bom pastor que os conhece e trata pelo nome, a este eles ouvem a voz e se deleitam nela. Não há lugar para julgamentos no Caminho, pois ecoa sobre as cabeças do que caminham nele uma voz que saiu do próprio Caminho: “NÃO julgueis, para que não sejais julgados.”Em muitos momentos a caminhada parece solitária, mas aqueles que conhecem a sua vocação se satisfazem com a companhia do próprio Caminho. Não se trata de uma estrada, fixa, com placas de sinalização e com curvas e retas pré-definidas, e quem anda pelo Caminho deve estar bem consciente do fato de que não devem seguir outros caminhantes, pois pode se dar o fato de que ao tentar faze-lo se perca o mais importante aspecto do Caminho, que é a singularidade de seu percurso. O Caminho é Verdade e Vida. Não se pode caminhar por ele com falsidades, ou representando, pois a mentira é atalho para fora do Caminho. Tampouco é possível tentar se apegar própria vida, pois a única vida que resiste ao percurso é a vida do próprio Caminho. Finalmente, olhando para trás no Caminho, vejo aberta ainda aquela porta estreita pela qual passei, e sobre ela pendente ainda uma placa que diz: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.”
Jerry

2 comentários:

Worlen Kaizer disse...

Esse é o caminho de pureza... o caminho que muitos pensam estar trilhando...mas ele é realmente estreito...e se olharmos bem...veremos que Ele vai na contramão de um sistema... Sinto-me tocado por essas palavras, pois o que tenho ouvido de Deus nesses dias é : Siga-me...muito aobrigado pela sensiblidade....

silvania disse...

Amado...Ao ler tal trecho as palavras que consigo expressar são:"Muito obrigado meu bom Deus".
Por que?
Porque "Ele" permitiu que em minha caminhada eu encontrasse um caminhante como você.E o que posso concluir,é que na "estrada" se pode conduzir alguém,mas no "caminho",cada um tem que fazê-lo sozinho...JESUS o Caminho da verdade e da Vida.
Paz, até o próximo...